Evento do curso de Serviço Social do Unihorizontes debate o papel da mulher no Século XXI

|Evento do curso de Serviço Social do Unihorizontes debate o papel da mulher no Século XXI

Evento do curso de Serviço Social do Unihorizontes debate o papel da mulher no Século XXI

Nesta sexta-feira, 8 de março, celebra-se o Dia Internacional da Mulher, uma data importante para o empoderamento, a conquista de direitos e a emancipação feminina. Já no dia 14 de março, o curso de Serviço Social do Centro Universitário Unihorizontes realiza a 2ª edição do evento “As várias Nuances da Mulher no Século XXI” que vai contar com mesas redondas, debates e peças de teatro para refletir sobre temas como violência doméstica e sexual, feminicídio, reprodução do machismo pela mulher, empoderamento da mulher no Século XXI e violência obstetra. O evento tem entrada gratuita e acontece no auditório da Unidade Santo Agostinho, nos turnos da manhã, às 8h, e no turno da noite, às 19h15.

De acordo com o Prof. Juliano Aparecido de Almeida, coordenador do Curso de Serviço Social, o evento está sendo organizado pelos próprios alunos do curso de Serviço Social e tem a finalidade de contribuir com um olhar crítico sobre o papel da mulher para além de concepções do senso comum. “Embora muitos acreditem que o machismo e a violência contra a mulher sejam algo que ficou no passado, esses temas ainda se fazem presentes afetando diretamente a emancipação e o empoderamento feminino, tolhindo direitos nas suas mais variadas esferas”, explica o Prof. Juliano.  “Nosso evento busca situar o papel da mulher neste novo Século e as diferentes expressões da luta contra a opressão”, acrescenta.

O evento é gratuito e aberto aos alunos de todos os cursos e também para a comunidade externa. “É importante que o Unihorizontes traga para os alunos e a sociedade em geral o debate sobre o machismo e os direitos das mulheres, assim, ele cumpre com o seu papel social ao colocar em discussão as muitas faces da violência contra a mulher, como o femincídio, por exemplo, que mesmo criminalizado ainda tira a vida de milhares de mulheres apenas pelo fato de serem mulheres”, diz a Prof. Suênya Thatiana Souza de Almeida.

2019-07-09T17:05:24+00:0007.03.2019|Egressos, Serviço Social|
×