Gestão da Qualidade

||Gestão da Qualidade
Gestão da Qualidade2018-09-26T16:35:53+00:00

Gestão da Qualidade

Pensando em contribuir para a melhoria e avanço da produtividade e qualidade de produtos e serviços no Brasil a Unihorizontes estruturou e oferece o curso de Graduação Tecnológica em Gestão da Qualidade. O curso está estruturado com o que há de mais atual em Qualidade.

OBJETIVOS:

O Curso Tecnólogo em Gestão da Qualidade busca desenvolver as competências e habilidades necessárias para o aluno ser capaz de analisar, implementar e gerenciar os sistemas de gestão da qualidade dos processos produtivos nos setores de indústria, serviços e comércio, propondo melhorias nos processos de gestão da qualidade para obter maior produtividade para a organização.

O MERCADO:

Recentemente a revista EXAME publicou preocupante matéria sobre a produtividade no Brasil, na qual anunciava: “Brasil leva surra dos EUA em produtividade: como melhorar?”.

Sabe-se que hoje em dia, um trabalhador brasileiro gera perto de 22.000 dólares por ano de riqueza. O americano, cerca de 100.000 dólares. Ou seja, são necessários cinco brasileiros para produzir a mesma riqueza que um americano. A enorme diferença faz sentido. Afinal, os Estados Unidos investem seis vezes mais do que o Brasil.

Mesmo com uma jornada menor, o trabalhador alemão é quatro vezes mais produtivo do que o brasileiro. “A questão está na qualidade do trabalho, e não na quantidade”, afirmou à revista o economista Samuel Pessôa, da consultoria Reliance.

As lições de Estados Unidos e Alemanha mostram que a produtividade é uma síntese das escolhas das nações ao longo do tempo. Aquelas que investiram na educação, na infraestrutura e nas instituições fortes têm uma economia mais eficiente e, portanto, mais rica. No caso do Brasil, infelizmente, a baixa produtividade é o resultado de muitos fracassos, enfatiza a matéria.

É um fato incontestável que a contribuição da produtividade ao crescimento econômico tem sido modesta no Brasil. Os surtos recentes de crescimento foram impulsionados basicamente por aumento de demanda. Quando o consumo estava em alta e a produção alcançava o limite, entrava em ação uma mão de obra ociosa que, ao primeiro sinal de desaceleração da economia, era descartada.

Cada trabalhador chinês gera uma riqueza de quase 9.000 dólares por ano — ainda menos da metade da dos brasileiros. No entanto, a produtividade chinesa vem crescendo à taxa de 9% ao ano. Se os dois países continuarem no mesmo ritmo, os chineses deverão ultrapassar os brasileiros em riqueza adicionada em 2024.

Conclui-se que daqui para frente, o ritmo de crescimento econômico no Brasil vai ser ditado pelo que ocorrer na produtividade. Apenas para manter a média de expansão do PIB dos últimos dez anos, será necessário duplicar o crescimento da produtividade para 3%, afirmou a revista Exame.

“O Brasil é deficiente em todos os fatores importantes para a produtividade, como inovação, educação e infraestrutura”, diz Gustavo Franco, ex-presidente do Banco Central. “Não fazemos nada do que o manual recomenda para sermos mais produtivos. O resultado está dado”.

Coordenação

Coordenadora: Prof. Rogério Naves Rezende
Contato: 31 3349-2928
E-mail: rogerio.rezende@unihorizontes.br
currículo Lattes

Quer saber mais?

Envie seus contatos que ligaremos para você!